A cirurgia de transplante capilar passou por uma profunda revolução de técnicas e materiais nos últimos anos.

Os resultados hoje possíveis nada lembram os resultados de anos atrás, em que as pessoas ficavam com um aspecto artificial, com tufos e marcas no couro cabeludo.

Graças às técnicas modernas, hoje os pacientes apresentam uma recuperação muito mais rápida, resultados muito superiores e ampla satisfação.

Nos dias atuais é a cirurgia estética que tem apresentado maior crescimento no mundo todo.

​Justamente por dominar ambas as técnicas é que nossa equipe se diferencia, podendo oferecer a cada paciente a melhor técnica para seu caso.

A Cirurgia

Atualmente existem 2 métodos para a retirada das unidade foliculares (UFs): a técnica convencional da extração da faixa  com corte, chamada de FUT  (Transplante de Unidades Foliculares) e a Técnica de FUE (Extração de Unidades Foliculares uma a uma).
A grande diferença entre as duas é a forma como as unidades são retiradas da região doadora na parte posterior do couro cabeludo.

Na técnica FUT o cirurgião remove uma tira de couro cabeludo que mede de 10 até 30cm  de comprimento por 1,5 a 2,0cm de largura . A região doadora então recebe uma sutura para aproximar as bordas da ferida  cirúrgica que resultará em uma cicatriz linear, camuflada pelos cabelos da região. A técnica de FUT possibilita a realização de uma megassessão em média de 3000 unidades foliculares (ufs) ou mais em um só dia, correspondendo a até 9.000 fios.
Uma vez feito o transplante, o paciente deverá usar os cabelos mais longos, sem raspar a cabeça, para camuflar a cicatriz posterior.

Já na técnica FUE, que somos os pioneiros no sul do Brasil,  todos os folículos (que podem ter de 1 a 4 fios) são removidos da área doadora pelo médico cirurgião um a um de forma aleatória com  o uso de um punch motorizado. A grande vantagem da técnica de FUE é não deixar cicatriz linear possibilitando o uso dos cabelos curtos. É conhecida como a técnica de transplante capilar sem cicatriz linear.
Isto ocorre porque os orifícios feitos para a remoção dos fios são extremamente pequenos, com 0.8 a 0.9mm de diâmetro. Outra vantagem é que esta técnica pode ser realizada nos pacientes que não possuem boa elasticidade na região doadora, o que impediria a realização de um microtransplante com a técnica de FUT. Também é a melhor indicação para o transplante de barba, pois se consegue retirar pelos da própria barba preservando as mesmas características pilosas da região.
É importante mencionar que na realização da técnica de FUE os cabelos precisam ser raspados para conseguirmos introduzir o pequeno punch corretamente e extrair a unidade folicular sem dano.
Nesta técnica, como as unidades foliculares são retiradas uma a uma, o tempo cirúrgico é maior.

Qual o preço da sua autoestima?

Quanto custa aquele tempo que você perde disfarçando sua calvície?

cabelo 6.jpg
cabelo 4.jpg